Uricosúria de 24 horas 

Esta análise quantitativa pode suplementar o teste de ácido úrico sérico ao procurar a identificação de desordens que alteram a produção e excreção de ácido úrico (como, por exemplo, leucemia, gota e disfunção renal). 

O método laboratorial mais específico para a detecção de ácido úrico é a absorção espectrofotométrica após tratamento da amostra com  a enzima uricase. 

Objetivo

Detectar deficiências de enzima e distúrbios metabólicos que afetem a produção de ácido.

   Determinar se os cálculos renais resultam de hiperuricosúria.

Auxiliar na medição da eficiência do clearance renal. 

Valores de referência

Métodos: espectrofotometria de absorção atômica ou enzimático.

250 a 750 mg na urina de 24 horas. 

Achados anormais

Níveis elevados de ácido úrico urinário podem resultar de hiperprodução de ácido úrico na gota, de leucemia mielóide crônica, policitemia vera, mieloma múltiplo e remissão precoce em anemia perniciosa, linfossarcoma e leucemia linfática durante a radioterapia ou defeitos de reabsorção tubular, como, por exemplo, síndrome de Fanconi e degeneração hepatolenticular (doença de Wilson). 

Os baixos níveis de ácido úrico urinário ocorrem na gota (quando associados com produção normal de ácido úrico, porém com hipoexcreção renal) e em comprometimento renal grave, como, por exemplo, aquele resultante de glomerulonefrite crônica, glomeruloesclerose diabética e desordens do colágeno. 

Exames correlatos

Ácido úrico sérico, calciúria de 24 horas e perfil para nefrolitíase.