Proteína C Reativa (PCR) 

É uma proteína de fase aguda que foi originalmente identificada pela propriedade de se precipitar com o carboidrato C da cápsula do pneumococo. Sua dosagem pode ser qualitativa ou quantitativa através de técnicas como a imunodifusão radial. Suas características mais importantes são a elevação precoce e o rápido desaparecimento em 1 a 2 semanas dentro do processo inflamatório infeccioso. 

Objetivos

   Diagnóstico precoce de febre reumática aguda.

Detectar surtos de reativação de febre reumática. 

Preparação do paciente

Jejum de 4 horas. 

Valores de referência

Método: Nefelometria.

Normal: inferior a 0,8 mg/dl. 

Achados anormais

É uma das principais proteínas de fase aguda usada como indicador de processos infecciosos ou inflamatórios, sendo que em menos de 12 horas após o início do estímulo para a sua síntese pode apresentar aumentos de até 100 vezes em relação ao basal. A concentração plasmática aumenta em doenças do colágeno, em neoplasias, no pós operatório, no infarto do miocárdio e principalmente nas doenças infecciosas agudas ou crônicas. É útil também no seguimento terapêutico das doenças reumáticas em geral, sobretudo na febre reumática, onde seu reaparecimento pode sugerir reagudização do processo e nas vasculites sistêmicas, onde pode servir de parâmetro para monitorização do tratamento. 

Exames correlatos

Antiestreptolisina O (ASLO), velocidade de hemossedimentação (VSH), alfa-1 glicoproteína ácida.