Creatino-fosfoquinase (CPK) total e frações

 A CPK é uma enzima que catalisa o caminho metabólico creatina-creatinina em células musculares e tecido cerebral. Um aumento acima dos níveis séricos normais indica trauma em células com alto teor de CPK. O fracionamento e medição de três isoenzimas de CPK distintas - CK-BB (CK1), CK-MB (CK2) e CK-MM (CK3) - substituíram o uso de níveis de CPK total para localizar o local de destruição tecidual aumentada em IM agudo. A CK-BB, raramente vista no soro, é a mais prevalente em tecido cerebral. A CK-MM é encontrada principalmente no músculo esquelético; a CK-MB no músculo cardíaco. Lesões ao músculo cardíaco liberam isoenzimas CK-MM, CK-MB e DHL para dentro do soro. 

Objetivos

Detectar e diagnosticar IM agudo e reinfarto.

Avaliar causas possíveis de dor no peito e monitorar a gravidade de isquemia miocardiana após cirurgia cardíaca, cateterização cardíaca ou cardioversão.

Detectar desordens de músculo esquelético que não sejam neurogênicas na origem, como, por exemplo, distrofia muscular de Duchenne e dermatomiosite precoce.

Preparo do paciente

Jejum de 4 horas.

Valores de referência

Método: cinético, química seca.

Masculino: até 190 U/L.

Feminino: até 167 U/L.

CK-BB: indetectável.

CK-MB: indetectável até 7 U/L.

CK-MM: 5 a 70 U/L.

Achados anormais

Os níveis de CPK total podem elevar-se em casos de distrofia muscular, miosite viral, polimiosite, doença cérebro-vascular aguda, isquemia cerebral, hipocalemia grave, envenenamento por monóxido de carbono, hipertermia maligna ou cardiomiopatia alcoólica.

A isoenzima CK-BB detectável pode indicar lesão tecidual cerebral, tumores malignos disseminados, choque grave ou deficiência renal. A isoenzima CK-MB maior que 5% dos níveis de CPK total (ou mais que 10 U/L) indica IM. Em IM agudo e após cirurgias cardíacas, o CK-MB começa a elevar-se em 2 a 4 horas, atinge um pico entre 12 e 24 horas e, usualmente, retorna ao normal em 24 a 48 horas; as elevações persistentes ou níveis crescentes indicam lesão miocárdica em andamento. Os valores de CPK total seguem aproximadamente os mesmos padrões, porém aumentam ligeiramente mais tarde. Os níveis de CK-MB podem não aumentar em insuficiência cardíaca congestiva ou em angina pectoris desacompanhada de necrose celular miocárdica. 

Os valores de CK-MM em elevação seguem a lesão músculo-esquelética a partir de trauma ou de doenças como, por exemplo, distrofia muscular. Os níveis de CK-MM elevam-se moderadamente em hipotireoidismo e elevam-se abruptamente com atividade muscular provocada por agitação.

 Exames correlatos

Dehidrogenase-Láctica (DHL), transaminase glutãmico oxalacética (TGO).