Biópsia de linfonodos 

A biópsia de linfonodo envolve a excisão cirúrgica de um nódulo linfático ativo ou aspiração por agulha de uma amostra nodular para exame histológico. Ambas as técnicas geralmente utilizam uma anestesia local e tomam uma amostra dos nódulos superficiais na região cervical, supra-clavicular, axilar ou inguinal. A excisão é preferida em razão de fornecer amostras maiores.     

A biópsia de nódulo linfático é indicada quando o aumento nodular é prolongado e acompanhado de dor nas costas, edema de perna, dificuldades de respiração e deglutição e, mais tarde, perda de peso, fraqueza, coceira severa, febre, sudorese noturna, tosse, hemoptise ou rouquidão. O aumento nodular é típico de doenças do tipo leucemia linfática crônica, doença de Hodgkin, mononucleose infecciosa e artrite reumatóide.     

Hemograma completo, estudo de função hepática, cintilografia de fígado e baço e raios-X de tórax devem preceder este teste. 

Objetivos

    Determinar a causa do aumento do nódulo linfático.

    Distinguir entre tumores linfonodais benignos e malignos.

Estadiar carcinoma metastático. 

Preparo do paciente.

Para uma biópsia excisional, instruir o paciente para restringir a alimentação a partir da meia-noite do dia anterior e para beber somente líquidos claros na manhã do teste (se for necessária anestesia geral para nódulos mais profundos, o paciente deve também restringir líquidos).

Verificar a história do paciente com relação a hipersensibilidade à anestesia.

Imediatamente antes da biópsia, registrar os sinais vitais de linha de base do paciente. 

Valores de referência

Método: biópsia excisional ou através de punção aspirativa por agulha.

O linfonodo normal é encapsulado por tecido conectivo colagenoso e dividido em lobos menores por trabéculas. Ele possui uma córtex externa, composta por células linfóides e nódulos ou folículos contendo linfócitos e uma medula interna composta de células fagicíticas reticulares que coletam e drenam o líquido. 

Achados anormais

O exame distingue causas malignas de causas não-malignas do aumento do nódulo linfático. O câncer linfático é responsável por até 5% dos cânceres e é ligeiramente mais prevalente em homens do que em mulheres. O mal de Hodgkin é o câncer principal que afeta adolescentes e adultos jovens. O câncer de nódulos linfáticos pode também resultar de um carcinoma metastizante. Quando os resultados histológicos não são claros ou não há material nodular envolvido, a mediastinoscopia ou laparotomia podem fornecer uma outra amostra nodular. 

Exames correlatos

Hemograma completo, mielograma.