Ácido vanilmandélico (VMA) urinário

 Este teste mede os níveis urinários de ácido vanilmandélico (VMA), um ácido fenólico. O VMA é o metabólico catecolamina que normalmente é o mais relevante na urina e é o produto da conversão hepática de epinefrina e norepinefrina; os níveis urinários do VMA refletem a produção endógena de tais catecolaminas. Este teste auxilia na detecção de feocromocitoma e tumores secretores de catecolaminas e avaliar a função da medula adrenal, o local primário de produção de catecolaminas. Preferivelmente, é efetuado em uma amostra de urina de 24 horas. Outros metabólitos de catecolaminas, metanefrina, normetanefrina e ácido homovanílico (HVA) - podem ser medidos ao mesmo tempo.

 Objetivos

Auxiliar na detecção de feocromocitoma, neuroblastoma e ganglioneuroma.

Avaliar a função da medula adrenal.

 Preparo do paciente

Retirar frascos e instruções para coleta.

Valores de referência

Método: cromatografia líquida de alta pressão com detecção amperométrica.

Acima de 15 anos: 2,0 a 7,0 mg/24h.

Achados anormais

Níveis elevados de VMA urinário podem resultar de um tumor secretor de catecolamina. Testes adicionais, como, por exemplo, a medição de níveis urinários de HVA para descartar o feocromocitoma são necessários para um diagnóstico mais preciso. Se o feocromocitoma for confirmado, o paciente pode ser testado com relação a neoplasia endócrina múltipla, uma condição hereditária comumente associada ao feocromocitoma.

 Exames correlatos

Catecolaminas urinárias.